domingo, 17 de dezembro de 2017

A Região

Ilha do PRINCIPE  ILHA DO PRÍNCIPE, ONDE O VERDE É MAIS VERDE
A ilha do Príncipe, que detém um estatuto autónomo e de Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO, faz parte de um grupo de ilhas vulcânicas relativamente antiga, com cerca de 30 milhões de anos.
Príncipe é uma ilha intocada com uma vegetação densa, onde o verde é mais verde. Proporciona um sossego pleno distribuído em uma área de 142 km2. Pouco habitada tem cerca de 8 000 habitantes e com praias de sonho.

Está situada no Golfo da Guiné, Junto da linha do equador, a 160 Km ao norte da ilha de São Tomé e a 220 km da costa africana. O ponto mais alto é o Pico do Príncipe com 948 m acima do nível do mar, um clima tropical húmido e a temperatura média anual varia entre 23 ºC a 27ºC. Região

 

Mais sobre a Região

População tipicamente insular. Diversas espécies endémicas e alguns géneros endémicos, como exemplo: borboletas, periquitos, estroninho bo-bo, tecelão do príncipe, merlo , Conóbia, pica-peixe, Cécia-do-principe, o papagaio cinzento.
Existem também espécies como os macacos (o pequeno gabarito), os lagartos e algumas serpentes (inofensivas).

Cerca de 50% da ilha é Parque Natural. Resultado de um projeto de proteção nacional do meio ambiente iniciado em 1992, cujo objetivo é de proteger e conservar racionalmente os ecossistemas florestais. Recenseadas cerca de 800 plantas, dentre as quais 120 são endémicas. Algumas flores despertam sempre a atenção dos turistas, como por exemplo, a rosa de porcelana, a rosa vermelha-alaranjada e os bicos de papagaio.

Flora e Fauna - A sua fauna marinha é considerável. Existem quatro espécies de tartarugas e outras espécies como as barracudas, atuns, golfinhos, espadins negros, e em certas datas, algumas baleias.
As excelentes condições climatéricas existentes ao longo do ano, aliadas ao mar de água quente e límpida com cores variadas (turquesa, esmeralda e negro), onde se observa também praias de areia fina. Os recursos marinhos existentes, permitem a prática de várias atividades balneares tais como a pesca de fundo, o mergulho, entre outras.

Com clima e paisagens diferenciadas, a ilha oferece inúmeras possibilidades para o turismo, já que permite aos viajantes combinar interesses e atividades múltiplas a cada oferta, podendo se converter num destino exclusivo.
A Ilha do Príncipe oferece uma oportunidade única para ligar, (através do turismo), a cultura, a conservação da biodiversidade e as áreas naturais com o desenvolvimento económico sustentável. A conjunção da diversidade de ecossistemas de inegável beleza cénica com os altos níveis de endemismo do país, faz da ilha um lugar particularmente atraente para aqueles que procuram turismo ecológico.

Cidade de Santo António do Principe
Santo António do Príncipe é a capital da ilha do Príncipe. Perante os números, trata-se provavelmente da localidade com estatuto de cidade mais pequena do mundo. É muito fácil percorrê-la, assim como é muito fácil dela se ficar enamorado.
O centro dá pelo nome de Praça Marcelo da Veiga e é á sua volta que se distribui os pontos mais marcantes da urbe: a Assembleia Legislativa Regional do Príncipe, Paços do Concelho – Palácio do Governo, antigo Mercado de Peixe – que se transformará em futura sede da Reserva da Biosfera, o edifício dos Correios, o edifício que alberga a Secretária Regional das Finanças e Administração Pública, o Centro Cultural Português, o Fontanário 1914, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Igreja Nossa Senhora da Conceição.
Há ainda algumas praças, ruas e avenidas principais, tais como: Praça da Independência – Escola João Belo e Paço do Concelho; Rua da Liberdade – Padrão de Descobrimento a antiga casa Sacadura; Rua 17 de Janeiro – Praça da Independência a Av. Maria Correia; Avenida da O.U.A. – Ponte Papagaio a Largo da Juventude, Avenida 12 de Julho – Ponte Papagaio a Água Namoro; Avenida Silva Sebastião - Padrão de Descobrimentos, Escola de Padrão, Salão de Sporting, Banco de Má Língua, Mercado Municipal a Cemitério e a direita situa-se algumas zonas periféricas como Bairro Santo António II e Reta de Porto Real onde durante o percurso, encontramos o Estádio Regional 13 de Junho e Centro Profissional Protásio Pina.

Atração Turística da Ilha
O turismo de Sol & Praia, baseado em pontos de atração costeiros e peninsulares pode ser considerado hoje o mais amplo.
A extensa costa da ilha, em função das diferenças climáticas e geológicas, abriga um rico mosaico de paisagens e ambientes, recortados por dezenas de praias. Praias que se diferenciam pelo cenário, determinado pela geografia, cor da água, textura e coloração das areias e das marés.
A diversidade da fauna e da flora do litoral, a preservação de extensas faixas da região costeira e a existência de praias isoladas e desertas permite a combinação do segmento de Sol & Praia com atividades próprias de Ecoturismo.

As praias mais lindas da ilha, podem-se encontrar no norte da ilha, como por exemplo as Praias Banana, Boy, Macoco, Bom Bom, e ao Sul praias Abelha, Grande do Sul, Évora, Ponta da Mina, Praia Salgada, algumas delas já começam a ser fustigadas pela erosão costeira.

Produtos de ecoturismo na Ilha
Com sua dimensão e sua diversidade biológica e cénica, a ilha do Príncipe poderá destacar-se como um dos mais ricos destinos do turismo ligado à natureza. É constituída por diferentes ecossistemas, frutos da história geológica e da presença humana recente. Com base nesses elementos começou-se a estabelecer uma nova geografia do turismo no arquipélago, em que prevalece a visão ambiental, na qual passa a ser apresentado ao visitante a partir das diferentes roças – Sundí, Porto-Real, Santo Cristo, Nova Estrela, Picão, Belo Monte, S. Joaquim, Bela Vista, Miradouro do Equador, ...

Produtos culturais da Ilha
Uma das características singulares do Príncipe é sua mistura racial e cultural, uma sociedade constituída por portugueses, cabo-verdianos e os nativos da terra "moncós".
Essa miscelânea é o que distingue os traços dos "moncós" – a amabilidade, a hospitalidade, a alegria e o jeito de ser, – é também a diversidade do património cultural do país em suas matizes regionais e/ou ambientais: a música, a dança, a arte popular, a religiosidade, a gastronomia, etc...


A Música
A música está presente no quotidiano das populações da ilha; nas ruas, bares e em casas, mas, pode ser conferida em momentos específicos de festas e eventos populares como por exemplo: - a festa de Santo António (13 de Junho) e o do Auto de Floripes (São Lourenço - 15 Agosto).


Auto de Floripes (São Lourenço)
"São Lourenço" (por ser representado no dia deste santo) e que é idêntico aos "Autos de Floripes" que ainda hoje é representado na aldeia das Neves - Viana do Castelo - Portugal. Retrata um dos mais antigos e prolixos factos/lenda europeus. Aqui se fala de Carlos Magno (cristão), dos seus heroicos "Doze Pares de França", e do almirante Balão (mouro), e de sua filha Floripes - princesa turca, casta e "inocente" donzela, de seu irmão, o temível guerreiro mouro Ferrabrás.
O Auto de Floripes é uma cultura antiga, raiz líquida e funda; uma festa grande que o povo guarda e cumpre todos os anos no dia 15 de Agosto, a maior manifestação cultural, que acontece em 15 de Agosto com reincidência no domingo seguinte.
Nesta data a mais pequena cidade do globo – Santo António do Príncipe, transforma-se no maior palco do mundo, recebendo turistas de todos os cantos do planeta.
Outras festividades celebradas na ilha são: "Vindes Menino" e a festa de "Nossa Senhora da Graça" e ainda as festas dos santos populares como o "Santo António", "Santa Joana", "Santa Cruz nascido", Vigiamento um ritual. A população jovem participa ativamente nos eventos culturais.

A Dança
Dexa é uma dança típica local e Tchabeta dança de influência cultural de Cabo-Verde.

Gastronomia
Ao Turismo Cultural, associa-se a sua Gastronomia - os pratos típicos da Ilha.
É claro que cada região tem suas características, marcas do passado, da geografia e do meio ambiente que determinam sua comida típica. E a gastronomia é também sem dúvida, parte da cultura de um país. Por outro lado, identifica a cultura de um povo. Neste sentido torna-se necessário a sua preservação e valorização.
Quem visita a Ilha do Príncipe, não pode deixar de experimentar as suas relíquias gastronómicas, "doces regionais" como o bôbô fito (a famosa banana frita), banana seca, bolo de coco, entre outros. De igual modo, não podem e nem devem passar sem provar os famosos pratos típicos, confecionados com variadíssimas folhas medicinais, peixe fresco e salgados, azeite de palma, azeite de coco da região, como por exemplo, a famoso molho no fogo – confecionado com óleo de palma, peixe seco, peixe fumado, cebolas, tomate, malagueta , que pode ser acompanhado com banana cozida, fruta assada, matabala cozida, mandioca, inhame ou ainda arroz cozido, servindo-se de preferência quente e regado com um bom vinho branco.

Dos pratos tradicionais destacam-se também "Izaguá", "Ufundimakita", "Acará", "Ufiá fito" "Soô", "Fenza fito", "Obobó", "Izé cucundia", "Izé txi" e "Peixe limão". Além das sobremesas típicas do Príncipe como o "Izesukê", "Pudim da terra", "Bobô fito", "Arroz de milho" e "Filispote" e outros.

Energia
Energia Limpa é a grande aposta do Governo Regional para o futuro, para substituir a fóssil. Com financiamento do PNUD (Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento) estudos já estão em curso visando apurar a viabilidade da ilha Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO ser, toda ela, alimentada por mini- hídricas ou outras fontes de energia amigas do ambiente, uma vez que tem potencial para tal.
Porém, os investimentos registados nos últimos anos, permitiram o aumento de capacidade de produção da única central térmica existente no Príncipe e melhorias na rede de distribuição, possibilitando que hoje mais de 50% das comunidades do interior da ilha tivessem energia elétrica com mais qualidade.
De acordos com dados do último Recenseamento de 2012, a ilha do Príncipe ocupa segundo lugar no País, em matéria de repartição das famílias segundo existência de energia elétrica no alojamento, por distrito, com uma taxa de 65,1%, depois de Agua Grande com 71,5%, quando a média do País é 57,9%.
Horário de fornecimento de energia:
- Segundas, terças, quartas, quintas - feiras e Domingos: 06h00 às 02:00 horas da madrugada
- Sextas-feiras e Sábados: 24 sobre 24 horas

[Fonte: Governo Regional do Príncipe]

joomla templatesfree joomla templatestemplate joomla

Boletim Informativo

Agenda

December 2017
S M T W T F S
26 27 28 29 30 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6